Seguidores

sábado, 31 de janeiro de 2009

Se Eu Pudesse


Relembrar o passado,
Dói tanto em minh’alma,
Porque você é o pecado,
Tão presente tão calmo,
Que eu não consigo esquecer.

Te procuro pelas ruas,
Em cada rosto um engano,
Pois, nenhum tem o encanto;
Daquela beleza tão sua.

Se eu pudesse...
Faria do passado o presente,
Beijaria sua boca tão quente,
Guardaria pra mim teu sabor!

Se eu pudesse,
Faria tudo diferente,
Ficaria com você para sempre,
Num eterno sonho de amor.

Elaine Barnes 3/3/1992

Entrega

É tão calma essa madrugada,
Tão tranqüila e calada,
Quanto a que te conheci.
Reporto-me ao tempo...
Os nossos lábios no calor do silêncio,
O céu da boca cúmplice do beijo,
Entre as estrelas do desejo...
Assistia e gostava.
A madrugada sem saber de nada,
Abriu a porta da noite calada...
E inocente abriu também meus segredos;
Desnudando meus medos, com magia de fada.
Envolveu-me no abraço da noite,
E acariciava meu corpo...
Como uma valsa tocada.
Pudera dançar contigo agora,
A mesma valsa de outrora,
Envolvida nos braços teus.
Aquietaria meu coração aflito,
Levaria pra longe o meu grito...
Sufocado com o adeus!
Por hora sem mais segredos,
Estou só a me lembrar,
Que na boca da madrugada
Entre estrelas de beijos,
Fui tua, tranqüila e calada,
E só os gemidos do desejo
Rompiam o silêncio
Na descoberta de amar.

Elaine Barnes 26/08/1995

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Paixão

Sentir paixão
Aquela que te tira do chão
Que dispara o coração
Dá suor nas mãos
E cada poro é sensação
De água salgada
Mata a sede com tesão
De quem toma limonada.

Sentir paixão
Aquela que te deixa iluminada
Que brilha até na escuridão
A bochecha rosada
É marcar com uma canção
A face beijada.

Sentir paixão
È arrepiar a espinha
No encontro das mãos dadas
No abraço das pernas juntinhas
No balanço dos corpos suados.

Sentir paixão
É mergulhar na boca molhada
É fazer amor com tesão
É ter saudades na madrugada
É querer entregar o coração
Sem querer saber de nada.

Elaine Barnes
26/01/09

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

I Love You Monique

E assim é; a alegria da gravidez com todos os sonhos futuros que imaginamos em nossa vida; Casamento para sempre, bebês fofos, carinho, dedicação, escola, lição, formação de personalidade, filhos criados, o sim e o não, o talvez, quem sabe...E eles crescem, tanto quanto a responsabilidade sobre o amor que cresce junto. Amamos porquê amamos.
Tudo parece tão previsível. Simples e tão complicado.
Em nome do amor erramos, acertamos, batemos na trave e também em quem mexer com nossos filhos. Falamos deles, mas, não permitimos que ninguém fale, a não ser por amor. Os protegemos enquanto podemos e enquanto eles permitem.
Os criamos para o mundo, mas, gostaríamos que fosse só para o nosso mundo ( segredo).

Quando nascem já sentimos a dor da separação, parece uma preparação para nos separarmos mais uma vez lá na frente, quando casam, quando vão estudar fora em outra cidade ou país.
Lá dentro sentimos que é assim. Depois do cordão cortado e separado da gente, colocamos um outro imaginário. Sabemos que um dia será cortado de vez. E que bom que assim é!
Filhos bem criados são aqueles que nos tornamos desnecessários. Tornam-se independentes e alçam seus próprios vôos como pássaros migratórios. Vão conhecer outros mundos, se arriscarem, buscarem a si mesmos e talvez buscar a nós. Crescemos com eles também.
Abrem as asas e emprestamos as nossas para apoio, queremos que sintam mesmo longe, nossa ternura, afeto, oração e um desejo imenso que sejam felizes e não caiam.
Quase todas as mães são corujas e descobrem na Graça da maternidade que o amor tem quatro asas!
Se algo não sair legal, o lugarzinho está guardado no coração da gente que é um porto ou aeroporto onde podem descansar pra ir de novo.
Amor de mãe não se explica, vai além do horizonte, além das discussões, discordâncias, decepções, além da distancia; da alma aflita; da separação. Ama porque quer amar.
Os casamentos não são pra sempre. Os filhos sim. São partes nossas de amor verdadeiro que atravessa qualquer parte do mundo, levando em suas asas saudades. Abrindo-se pra viver livre a experiência de seus próprios sonhos. Seu lugar ao sol. Voar...Voar...
Voa pra vida minha amada filha, leva contigo meu amor e meu orgulho, leva as palavras que eu nunca disse, pois às vezes me faltaram. Elas as vezes são efemeras e não tem a verdade que gostaríamos de expressar,mas, leva então as atitudes de amor, de alegria, de dignidade e liberdade de escolha que vivemos. Não esquece os valores que te dei e os que adquiriu por si.
E não esquece nunca dos seus sonhos, estarei aqui torcendo pra que se realizem. Continue com sabedoria, coragem e a fé minha pequena guerreira. Eu te abençoo com todo meu amor e que Deus te guarde aonde for. I Love you! Te amo... Te amo...Além do horizonte, por onde você for!!!!

Elaine Barnes ( por um momento sem asas)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Amigas para Sempre!



Tudo parece que passa;
O desespero; o choro compulsivo da crise existencial;
Algumas frustrações, o rodopio do ano tão igual;
Fracassos, decepções profissionais;
O balanço de um ano que se embalou nos sonhos,
Na luta diária da realização...
No desgaste do empenho que morreu na contra mão.
O olhar perplexo na conta vazia do banco...
O grito preso na garganta e a esperança no chão.
Tudo isso parece que passa...
Quando a comida borbulha na boca no fogão;
Na espera das amigas que vem fazendo arruaça;
No frango assando no restaurante da praça
No rosto risonho de cada uma com pratinhos na mão.
Tudo parece que passa...
Quando a amizade é o presente de Natal!
A lealdade vem amarrada em laços,
E o papel tão fiel desenhado em coração.
A felicidade bate a porta tão leal,
Sem julgamento, com amor e união;
Com a força de Inês
A emoção da Silvia,
A intensidade de Fernanda,
A meiguice da Michelle,
A coragem da Bete
A simbologia da Márcia,
A determinação da Edna,
A fé da Nilva ,
A amorosidade da Jani,
E no vôo de Monique a liberdade de escolher!
Quando se tem amigas de verdade,
Tudo parece que chega. Tudo parece que basta!
Então...Feliz por vocês existirem na minha vida,
Um abraço e um beijo da Elaine
ESPERANÇA E REALIZAÇÔES DE AMOR SUCESSO E PAZ, REGADOS DE MUITA AMIZADE PARA SEMPRE!!!!!!!!

. Elaine Barnes Natal de 2008

domingo, 18 de janeiro de 2009

Lágrimas de Nada




Ah! Esse vazio... Estranha paz triste
O sol brilha lá fora,
Porquê as nuvens estão dentro de mim.
Chove aqui dentro.
Lágrimas de nada, derramadas no vazio.
Ao menos se o gato miasse, se o cão latisse...
Até o rio desliza em silêncio, mas...
Também cairá em algum buraco.
As veias que percorrem meu coração,
Ardem como fogo e nesse sufoco,
Carregam minhas nuvens de novo;
Pingam cansadas dentro do meu corpo.
A chuva cai sem oração, sem perdão;
Lágrimas de nada, não saem dos olhos.
Mesmo assim o sol brilha lá fora e agora,
Alguns pássaros rompem o silêncio quente.
Ainda bem que existem pássaros;
Preenchem com seu canto esse vazio.
E nos meus cantos escuros se faz,
Uma luz quase opaca; um pequeno barulho,
De gaiolas com portas se abrindo.
O barulho da minha chuva se despedindo.
Que paz mais triste!


Elaine Barnes

sábado, 17 de janeiro de 2009

Cadeira de Balanço



Cadeira de balanço embalou sem descanso,
Tantos sonhos meus.
Muitas vezes feliz; libertei-me do ranço,
Recostada nos braços teus.
Como todo ser humano,
Eu, eterna insatisfeita;
Muitas vezes me perdi.
E nos meus desenganos,
No teu colo me encontrei...
No teu silêncio me recolhi.
Foi tão bom teu aconchego,
Todos os dias que vivi.
Guardou meus segredos,
Desabafos e medos...
Entre goles de Parati.
Fiel companheira,
Velha amiga de madeira...
Continuas aí!
Range comigo de velhice,
Paciente com minha tagarelice...
O tempo passou e ainda não cresci.

Elaine Barnes

8/09/1994

Agridoce


Nas mãos, areia molhada,
A segurar a juventude,
Mas, ela escorre entre os dedos.
Ser jovem de espírito,
Que teima em ser moleque.

A pele envelhece,
O corpo enfraquece,
A visão pede lentes,
E continuar sorrindo...
Depende do cuidado com os dentes.

A juventude se esvai com a irreverência,
Mas deixa um brilho no olhar de quem ainda sonha.
De alguém que tem a experiência de viver melhor.
Será? Talvez esse seja o sonho!
Segurar um dia de cada vez. Ter paciência de Jó.
Desatar cada nó, sentir o amargo do jiló...
Sem deixar de sentir na língua...
O sabor agridoce da vida.

Assim entre plumas e feridas,
A vida continua sua corrida,
Corpos velhos, cabeça jovem;
Pedindo sorte à inevitável morte.

Elaine Barnes
.

Passagem


A coragem de cada um na particularidade de um momento,
Tem a vida toda para relembrar como glória,
E não cair no esquecimento.
Voamos nas asas imaginárias da liberdade,
Porquê somos donos dos nossos pensamentos.
Muitos se escondem atrás da máscara do medo e outras tantas...
Mas, não dá para esconder-se de si mesmos.
Somos reais apenas por momentos ou atores enquanto dure essa passagem.
Depende do compromisso com a vida. Tão curta!
Tão pouco tempo, que temos que imortalizar nas histórias,
Nossa pequena existência!

Elaine Barnes
31/03/1994

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Calma e Serena



E ela estava lá. Calma e serena diante do adeus.
Durante anos viveram todos juntos. Felizes sempre.
Tinha consciência da saúde e do amor que movimentava tudo. Uma benção!
Nem sempre a maneira certa de amar, o que às vezes entristecia, mas, como saber da alegria e felicidade sem a tristeza? Muitas vezes estática diante do inevitável, outras em movimento diante da própria resignação. Claro que perdeu muitos momentos por não perceber... Feliz com as cores da vida, porquê assim eram seus olhos. Triste na ausência de alegria quando sentia com a alma. Sem remorsos, sem arrependimentos, disse adeus às paredes, aos móveis, a casa, aos amigos e filhos. Não esqueceu das flores do jardim, um aceno ao trabalho e como se fosse um livro, virou a própria página, tão calma como um lago e serena como uma paisagem. Disse adeus a si mesma e partiu para a casa do mundo. Apenas seu fiel cachorro a seguiu sem se importar pra onde ela ia.

sábado, 10 de janeiro de 2009

Chutando Lata


Vou por aí “chutando lata” como Osvaldo!
Na rua pessoas seguem seu caminho,
Enquanto eu chuto o destino...
Jogando mesmo para o alto!

Sei lá viu! Vou ou fico?
Dou bom dia ao vizinho,
Abro pra ele meu sorriso...
Sigo chutando lata. Descalço.

Vejo gente chutando o destino...
Dos outros!
Eu vou chutando o meu!
Quem sabe ele se incomoda?

Já pensou?
Vai que ele reclama,
E exclama, Qual é!
Chuta não Zé, senão...

Vai que me conta aonde essa lata irá!
Esse “senão” é tudo pra mim.
Vai que numa esquina, quiçá...
Numa avenida, o descubro enfim!

Sei lá! Quem sabe o destino,
Ta na ponta do meu pé!
Cuidado aí Zé! Chuta não!
Senão...A lata vira latão!

Sei lá, quem sabe meu destino,
Ta dentro da lata?
Olha aí, Zé Mané!
Pois é. Vou por aí...Catando lata.
Senão...

Elaine Barnes

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Tem gente que é do mal


Quero dizer tantas coisas sobre os seres humanos! Queria ter as palavras certas, mas, elas tornam-se efêmeras. Queria falar de caráter. Do quanto é complicado ser honesto e oferecer amizade de qualidade. Impressionante como tem pessoas que se habituaram a serem egoístas; a pensarem somente em si, aqueles que esqueceram de sentir gratidão. Sentimento nobre demais! Seria tão mais fácil e menos trabalhoso se seguíssemos o ditado: “A união faz a força!” Sem dúvida tudo seria melhor e mais simples, mas, isso também é usado ao contrário, seres humanos por sintonia se unindo para prejudicar outros, subindo na vida a qualquer custo. O pior... Justificando com defesas absurdas pra convencerem a si mesmos que, dar facadas nas costas dos outros é realmente em legítima defesa. Matar ou morrer!
Radicais livres que pregam índoles, donos da razão. Pobres de espírito que julgam e crucificam. Sentem-se donos da cruz!
Acreditar no poder do amor nos livra de nos tornarmos iguais. O mal existe sim e nem Gandhi, nem Pollyanna impediram que pessoas cruéis existissem. Mas, o poder do amor, esse sim, existe pra nos fortalecer a favor de nós mesmos. Acreditar que toda energia emanada volta pra se alimentar. O bem se alimenta do bem e o mal quando não encontra refúgio, tem vida curta e volta pra onde veio. Ação e reação.
Nada vai impedir de melhorar o que somos quando estamos do lado do bem. Aprender com o mal, essa lição diária, nos leva sim a refletir sobre a fortaleza maior de manifestar o caráter.
E como incomoda! Quando mostramos que apesar de...Estamos de braços dados com a nossa verdade e compromisso em não nos igualarmos ao trabalho que dá: Mentir, inventar, caluniar, julgar, armar estratégias pra derrubar e não construir. Incomodamos quando não jogamos nossa vida, nem tão pouco a felicidade nas mãos de pessoas tão pequenas. Somos até expulsos por não jogarmos no mesmo time. Rejeitados.
Tem gente que não consegue amar nas adversidades.
Tem gente que é do mal mesmo!
Tem gente que é do bem e pronto!
Há seres humanos cuja qualidade do que tem dentro de si e o quanto está disponível a oferecer, é tão grande que as palavras também se tornam pequenas e efêmeras para descrever.
Viva a imperfeição! Ela não significa ser pior e sim que aprendemos com ela. Somos o que pensamos. Crescemos quando amamos e nos tornamos felizes quando encontramos a paz de consciência. Ao retirarmos nossas próprias máscaras, enxergamos as pessoas como elas são.
Dói,mas, é um "mal" necessário.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Tesouros




Um ser tão pequenino;
Tão grande no amor e carinho,
Trás consigo a esperança,
No olhar doce de criança.

Nesse olhar cheio de vida,
Em face de expressão feliz...
A boca se abre num sorriso...
A fotografia ganha um: Giz!

O menino joga bola.
A menina brinca de boneca,
O menino empina pipa,
A menina joga peteca.
O tempo passa depressa,
Levando a infância sapeca.

Os meninos vão sonhar com um carrão...
E as meninas em serem eternas bonecas!

Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar...
A infância que me deste, com carinho irei lembrar;
Roda gira, levando a bola e a boneca,
Mas, não levará a alegria de sonhar!

A pureza dos teus olhos,
São pedras preciosas.
A meiguice do teu sorriso,
Faz tua carinha melindrosa.
Você é o maior tesouro;
O bem mais precioso...
Feito somente pra amar!

Elaine Barnes 08/09/1992

Prece


Agradeço ao Senhor que me dá a vida.
Agradeço a manhã que me dá o sol.
Agradeço a natureza, o cair da chuva...
Agradeço a tarde que finda o trabalho...
Trazendo a noite pra sonhar.
Obrigado Senhor pelo meu dom, a saúde;
A alegria que também me faz chorar!
O Senhor me deu a lágrima de emoção
E o sorriso da compaixão.
Livra-me do mau pensamento,
Que por um momento me afasta de Ti.
Não deixeis cair no esquecimento,
Que por maus pensamentos voltarei aqui.
Dá-me o dom da paciência,
Que por conseqüência me levará mais perto de Ti!
Não deixeis que Tuas sabias palavras,
Se percam no tempo...Mande-as de volta,
Num sopro de vento...
Dá-me uma chance e estarei aqui!
Quero amar meu irmão; mas, se perder a razão;
Dá-me seu perdão, irei me redimir!
Ajuda-me na missão que escolhi.
Dá-me força pra Teu caminho seguir!
Só na fé Te encontro, não há mais onde Te buscar!
O Senhor está dentro de mim.
Faça-me então, Teu instrumento,
Dá-me o dom da palavra, para quem pensa ser o fim.
Sou teu humilde servo e o mais belo...
É que sou uma pequena flor no Teu imenso jardim.

Elaine Barnes 13/08/1992

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Desejo


Quando fecho meus olhos,
E meus lábios tocam os teus...
O desejo em meu corpo treme,
E as carícias dos teus gestos;
Tão sensível manifesto...
São como brisa a me tocar.
Leva-me ao delírio mais quente;
Sinto-me como a terra mais ardente,
Esperando a chuva refrescar.

Elaine Barnes 4/01/1996