Seguidores

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

O Mendigo Eremita



Lá vai ele vestido em seu manto maltrapilho, usado em dias assim de céu cinzento.
Tem um guarda-roupa particular:
Nos dias ensolarados, bermuda, peito desnudo e no ombro sua vida de contornos indecifráveis. Ao vir à chuva, um capuz sobre a cabeça completa sua vestimenta escura e sombria.

Perambula por todas as estações do ano com seu cajado e um cobertor enrolado, pendurado em seu ombro feito um alforje. Inseparáveis!
Ele e seus pertences são um só a caminhar a ermo na avenida Luis Dumont Villares.
Com pés descalços volteia as estações do metrô carregando o silêncio de um eremita.
Evita as pessoas, não fala com ninguém, mas sua voz ecoa através das janelas dos escritórios.
Um grito de solidão!
Quando o sol escalda o asfalto, o canteiro gramado lhe oferece um sofá de pedra sem a sombra das árvores.
Ali ele senta-se como um rei, coloca seu tesouro ao lado e medita;
sua pele reluz ungida em suor, horas a fio; como se não sentisse o calor.
Recusa a sombra da árvore; talvez a visse como intrusa no seu deserto, que pudesse roubar seu coração. Talvez já a conheça tão bem e já viva em sua própria sombra de ilusão.
Parece alimentar-se de pensamentos; enquanto alguns curiosos alimentam-se de julgamentos, mas no fundo invejam aquele poder de concentração.
Quando o sol se põe e o céu se fecha, ele se ergue como das profundezas da sua alma vitorioso e cheio de si. Não transparece nenhuma dor.
Ninguém sabe o que o leva a seguir pela chuva que cai, sempre na mesma ação.
Alguns já disseram que na calada na noite, às vezes fica nu, e pragueja quem se aproxima dele.
O chamam de louco e atormentados por sua nudez ébria; seu sexo exposto; livre pela avenida...Chamam à autoridade , cuja sirene reconhece como barulho de algemas.
Reage com soberba de um rei; arrogância sem ganância e prepotência de quem não precisa de ninguém.
Acredita-se que lhe dão um banho, tosam seu cabelo, alimentam sua barriga magra e o devolvem à avenida. A quem diga que apanha também.
O dia amanhece e lá está ele novamente vestido do seu tesouro; caminhando a ermo por sua imensa casa, como a medir sua extensão pra saber se tudo continua estático. E ele como único ser, se movimenta.
A chuva molha as vidraças e o mendigo eremita. Ninguém se importa. Ninguém lamenta.
Nem ele.
Talvez o mundo o tenha abandonado e talvez ele tenha abandonado o mundo.
Quem sabe se a avenida é a única amiga que escolheu?
Só ela conhece seu nome,seu pisar, seus segrêdos e sua voz.
Só ela entende seus nós em seu olhar perdido, misterioso, mas... Profundo.
Elaine Barnes

16-12-2008
(Observei esse mendigo mais de um ano e outros também,esse foi o que mais me chamava atenção por não falar com ninguém)
Peço desculpas aos amigos que não estou visitando,ando trabalhando demais até às 22h há 15 dias,só estou retribuindo as visitas sem seguir o painel,assim que normalizar irei em todos que estou em falta.Hoje estou indo a Bauru no casamento do sobrinho, terça estarei de volta. Obrigada a todos pelo carinho.Bjs

36 comentários:

Clecilene Carvalho disse...

Vim desejar um otimo final de semana e dizer que é muito bom vir aqui.

Aproveita a festa!!!!

Beijos.

Fatima disse...

Trabalhando muito?
Bom sinal então!
bjs querida.

Maria Bonfá disse...

lindo conto Elaine..parabens. profundo, prendeu minha atenção, mesmo porque vc ja havia me falado dele. adorei conhecer a historia.. bom final de semana e um casamento perfeito.. vou sentir saudade..beijão

Sonhadora disse...

Minha querida
Belo texto...gostei muito de ler.
beijinhos e bom fim de semana.

Sonhadora

REGINA GOULART SANTOS disse...

Elaine, belo texto.
Eis a dolorosa situação de impotência em que nos encontramos, diante da triste realidade de todo um contexto social e político.
Que Deus tenha piedade e proteja estas almas aflitas.

Um bom final de semana, bom trabalho e excelente casamento

Beijos mil

José disse...

Olá Elaine,
Esta é uma triste realidade que o mundo atravessa, e parece que cada
está pior, pelos menos por aqui está piorando.

bom fim de semana, e não trabalhes muito.
um beijinho,
josé

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Elane,

Li um livro "O contador de sonhos" e fala mais ou menos de um cara assim. Existem pessoas que simplesmente vivem com um mistério e ninguém nunca desvenda. Muito bacana sua forma de descrever o Mendigo Eremita.

Sobre seu comentário, fiquei curiosa... que reclamação?

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca


-

Blog do Mensageiro disse...

Existem 2 pontos distintos aqui: um é a realidade em si, esse maltratar cotidiano que passa desapercebido na maioria das vezes.O outro é esse olhar seu, só seu, que capta com maestria cada detalhe e os transforma em um corredor de palavras que se encaixam com perfeição. Bárbaro!

RosanAzul disse...

Olá Elaine! Como vai?
Uma bela postagem, parabéns! Gosto muito da tua escrita!
bom final de semana!
Beijos!
Ro

Lidia Ferreira disse...

Belo texto amiga, adoro seu blog pq ele sempre tem novas emoção novos sentimentos
estou com saudades , mas bom divertimento
bjs

Chica disse...

Lindo texto e bom casamento.Acabei de voltar da praia e espero entrar no normal segunda à noite...É dura a chegada!!!beijos,chica

Sandra Botelho disse...

querida,
saudades...
Olha nem vou comentar o pot pq não li, to na lan e já viu neh o tempo voa.
Mas prometo que assim que resolver o problema do pc eu leio tudinho viu?
Fica com Deus.
Amo vc.
Bjos meus

Wanderley Elian Lima disse...

Excelente texto Elaine, como esse existem outras centenas por aí, e quantas vezes não desejamos ter o mesmo comportamento para esquecer tudo os aborrecimentos da vida.
Se cuide
Beijos

Majoli disse...

Coisa boa sair pra passear, aproveite mesmo, você tem trabalhado demais, merece um descanso.

Gostei por demais da história do mendigo, fiquei curiosa sobre o nome, a razão dele estar sempre por ali onde você o percebia.

Triste né amiga?

Beijos no ♥ e até terça.
Beijokas no Davi.

Livinha disse...

Elaine minha querida,
sinceramente, bendita foi a hora
que Andrea me colocou em seu caminho.. Como sois profunda e como sabes colocar na pauta com jeito tão claro, os teus pensamentos...
Você viaja, analítica e compreende, acho até que já te disse isto. Adoro teus contos, teus poemas e imaginações tão precisas...
Fico que não veja a hora de sua nova postagem, pra ver onde foi teu proximo ponto.
Maravilhoso e te aplaudo de pé
Parabéns!!

Obrigada pelas palavras lá em
casa, chega como incentivo, envolve e encoraja a caminhada...

Bjss
Livinha

Cadinho RoCo disse...

Na pobreza a existência de um enigmático tesouro.
Cadinho RoCo

Jéll C. disse...

Trabalhar nunca é demais :)
Gostei da história do mendigo, é triste, mais a realidade é essa =/
;**

Beatriz Prestes disse...

Elaine querida.....

Fiquei emocionada. Há tanto o que refletirmos na vida. Tanto o que tentar conhecer, tanto a observar!
Estar aqui para mim é um privilégio!!
Teu blog é uma paixão!
Beijo minha amiga que adoro!!
Ah, estou apaixonada pelo Davi...que coisa mais linda do mundo!!rs Um fofo lindo!!
Outro beijo querida..
Bea

Anita "Menina Flor" disse...

Muito lindo seu texto amiga Elaine, me lembrei de um mendigo há alguns meses atras que conversava comigo na Av.Boa Viagem, fiquei super espantada com tamanha sabedoria, me pergunto: o que faria esse sábio mendigo ali?

Olha, to com saudades viu, volta logo. bjs

Luma Rosa disse...

A loucura nos protege!! Sim, penso que quem enlouquece, quer fugir de algo que lhe incomoda muito! Não por vontade própria, mas inconscientemente. Este mendigo pode até não ser louco, mas criar meios de se proteger do mundo. Na minha rua tem um mendigo que vive de reciclar o lixo e soube que ele foi um bom profissional da área em que atuava. Passou a beber muito e a família o rejeitou. Ele perdeu tudo o que tinha e resolveu morar na rua. Diz ele que bens só trazem desgraça e prefere a vida simples e descomplicada. Recicla o lixo somente para ter dinheiro para comer e disse que o resto, a natureza lhe dá.
Enfim, boa viagem e bom casório!! Beijus,

meus instantes e momentos disse...

passando para te desejar uma semana feliz..
Maurizio

Pérola disse...

Bom dia!!!
Os mendigos vagueiam sem destino segue a sua sorte em busca de sua sobrevivência.
Uma vida sem rumo e sem perspectivas.
Amei a sua postagem.
Parabéns.
Um lindo dia.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Um texto muito lindo e bem feito, Elaine. Claro, a realidade é feia. Beijos e pare um pouco de trabalhar,assim vai ficar rica e esquece da gente rs rs. Beijão

Ricardo Calmon disse...

Com essa ardilosa técnica de nosso David,no frontispício de teu blog,nem ti xingar puedo,mas ...tudo bem,aguardarei vc se aquitar nessa guerra saborosa de trabalhar e vivo ser!
Mata curiosidade minha,trabalhas com publicité?sôdade de coruja tua sapeca,minina,de véio mininu esse,que tanto te ama !

bzux!

Viva La Vida!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Elaine linda,

Toda vez que chego aqui no seu blog, antes de ler o texto, vou direto no Davi, acredita? Ele tem um jeitinho que conquista, que contagia, que brilha. Dá uma vontade tão grande de apertar e mordeeeeeeeeeeer...ahahaha.Olha, acabei de colocar o blog lá nos prediletos, perdoa EU? É a correria, Elaine, juro!

=]

Beijo bem grandão, menina querida do meu coração.

Rebeca


-

Pati Araújo disse...

Oi Elaine,

Maravilhoso texto, só confirmou a minha impressão de como vc é observadora.
Espero que esteja curtido bastante a viagem e que o casamento tenha sido ótimo, sendo assim dá até pra descansar um pouco, né?
E o Davi, lindão como sempre?

Beijos em vc e na família! :)

Clecilene Carvalho disse...

Que lindo o presente que vc ganhou do Zé Carlos! Vc ficou linda na foto!

beijos.

Pérola disse...

Amiga como vc descobriu q sou eu.
Eu me afastei pq precisei.
Eu ñ tinha imail para avisar.
me perdoa.
Mas estou de volta.
Quase morri de saudade,eu te conto depois o q aconteceu.
Beijokas.
Preciso pegar o seu selinho de volta rs

Ricardo Calmon disse...

Por aqui passe,corretora amada minha,em coruja forma para com asas minhas David e mater dele abraçar e sudar,assim como a vc,paixão imobiliária de vida minha!

Vivre La Vie!

bzuz nocê,torcendo para que um big neocio hoje feches!

te amu,minina coruja,grand mére,de Daviddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddddd!

Everson Russo disse...

Cenas urbanas,,,,muitas vezes uma pessoa nos chama mais atençao que as outras, elas tem historia no olhar,,,nos gestos,,,um beijo querida e uma linda semana pra ti...cheia de carinho.

Carlos Albuquerque disse...

Bonito texto. História sensível.
Sabe, Elaine, eu acho que cada um de nós tem um mendigo assim dentro de si, querendo, muitas vezes, saltar para outro mundo...
Bjs

Pati Araújo disse...

Oi Elaine,

Amei a foto relax do Davi!
Esse momento diz tudo dessa natureza maravilhosa que Deus deu à ele. Ô menino bom! rsrs
E amiga, é isso mesmo pode corujar à vontade...o Davi merece!
Sabe, postei aquele trecho de livro porque também estou precisando dar uma levantada no ânimo, coisas da vida...mas, Graças à Deus já está funcionando, estou mais animadinha rsrsrs

Beijos e felicidade! :)

Graça Pereira disse...

Comovente esta história do mendigo/eremita que observaste e que afinal...é rei! Rei do tempo, do espaço fisico, dos pensamentos, da liberdade e da sabedoria..Partirá um dia, mais rico do que muitos de nós. Aproveitou ao máximo tudo quanto lhe foi dado gratuitamente...
Lindo teu modo de escrever!
Um beijo
Graça

Silvana disse...

Olá Elaine querida!

Mas que belo texto esse seu! Parabéns!

Lembrou-me muito o poema "O Bicho", de Manuel Bandeira...

Ah, muito obrigada pelas felicitações de aniversário, que encantadora que vc é. E adorei tb sua interpretação dessa data, de lembrar-me que meu novo ano se inciia hoje... No meu íntimo sempre achei isso... não sei se pelo carnaval ou por intuição...

Amoooo São Luis do Paraitinga. Até fiz um post homenageando esta linda cidade qdo da época das chuvas.

Acho que a cidade conseguirá se recompor, tenho fé. Sempre comento aqui em casa que se ganhasse na mega-sena é pra lá que me mudaria....hehehe

Muito obrigada pelo imenso carinho.

Beijoooo

janiperes disse...

ah amiga eu tmbm conheço esse moço, ja o observei tmbm, li um livro do Augusto Cury "Marco Polo" lá tmbm teve um assim, lindo romance, uma lição maravilhosa de vida, qto eles tem de sábio!, sim esses "malucos" andarilhos andam, andam e andam se perderam e vivem a procura da ignorância pq a sabedoria nata os expulsou do mundo real. Vc heim de olho no moço esse tempo todo....rs bjs admirados

Vanda Siqueira. disse...

Elaine, não conseguí copiar seu selinho para colocar no meu Blog, por quê...???
Beijos.