Seguidores

quinta-feira, 16 de julho de 2009

O Amor de Volta


Já ia longe o frescor da juventude;
A pele firme, os traços bem feitos.
Já ia longe os filhos crescidos,
Desmamados de seus seios.

Ela, somente agora estava crescendo.
O tempo fez sua história;
Parecia ter passado muito lento,
Como brisa na sua memória.

De estrela, virou constelação.
Dera vida a uma família;
E o sol que aquecera seu coração...
Escondeu-se na lua tão fria.

E assim respirou sozinha,
O ar da noite, da cama vazia.
Na alma uma abelha rainha,
No seu interior, o mel existia.

E assim descobriu o amor,que
Sempre fora seu companheiro,
Mas não viu. Não buscou no interior,
O procurou no parceiro.

O doce sentido da vida,
É agora seu abrigo,
Seu chão de relíquia,
É estar de bem consigo!

Uma paz terna,
Que a maturidade trás.
Quem dera fosse eterna...
E não a abandonasse mais!

Elaine Barnes

Um comentário:

Ariadne disse...

Fico feliz com sua volta, e mais ainda com sua vida, vivida como o barro virgem, sendo moldado dia a dia. Até ser transformado num vaso, onde colocaremos muitas flores. Compreendendo que a solidão não faz parte de nós, ela pode permanecer por um momento, mas são as flores que nos darão vida. Beijos e um abraço... Descanso no seu carinho, preciso de colo, preciso de alguém, preciso da sua amizade amorável.