Seguidores

terça-feira, 6 de julho de 2010

A PANELA


Ela vem a milênios se modificando
Mas a função é sempre a mesma
Alimentar!

Cada um cozinha nela
O que pode e o que tem;
Depende da criatividade
Do real que foi vintém!

Panela é necessidade:

Pode fazer doce com canela,
Se você está bem.
É só chegar perto dela,
E a água na boca vem!

Se estiver com raiva,
Pode atirá-la em alguém...
Então é melhor nem cozinhar nada,
Comida raivosa é veneno também!

Sua forma redonda e charmosa,
É um símbolo feminino.
Fica também muito vaidosa,
Quando é mexida pelo masculino.

Ela cria a receita,
Ele ordena a idéia,
A toalha desmaia na mesa,
Enquanto a colher rebola na panela!

Alimentar é uma arte!
Vazia, ela se apronta pra receber.
Cheia, ela cumpre sua parte
No ciclo de oferecer e viver.


Elaine Barnes Meu outro blog Nos Olhos da Coruja
Foto olhares-autor Soter França Junior

62 comentários:

Eliana Pessoa disse...

EU SOU APIXONADA POR PANELAS!
ADOREI A POESIA FEITA PARA ELAS EXCLUSIVAMENTE!!!

BEIJO

Sonhadora disse...

Minha querida
Um lindo poema, realmente a panela é tudo isso.

beijinhos com carinho
Sonhadora

Cacá disse...

Elaine, eu tenho vontade de um dia lhe convidar para me acompanhar no preparo de alimentos. Eu vou cozinhando e você vai elaborando um menu de poesias gastronômicas tão lindas como você faz. Adoro! rsrs. Abração. paz e bem.

Neto de Castro disse...

que bebezinho mais lindo! e textinho-poesia bem leve, legal de ler.

cheiro, xau!

Neto de Castro disse...

que bebezinho mais lindo! e o texto e bem leve, legal de ler.

gostei do blog
até mais

Majoli disse...

Que delícia essa panela...amo cozinhar.

Como sempre você encanta com esse teu jeito doce minha amiga, amei por demais.
Beijos carregados de saudades.

Chica disse...

Muito lindo,Elaine! Tantas verdades sobre uma panela.è assim mesmo!beijos,tudo de bom,chica

Marilu disse...

Querida amiga Elaine, tenho uma panela igual a essa da foto é muito boa para fazer doces. Tua poesia é cheia de graça e beleza, a panela é um objeto de relevada importância, mas nunca lhe damos o devido valor. Adorei..Beijocas

Fatima disse...

E como a gente gosta de panelas né!
Sou apaixonada pelas esmaltadas e com desenhos de florzinhas.
Tenho um tanto, pena que elas durem tão pouco.
Bjs.

Wanderley Elian Lima disse...

Bela homenagem à panela, o único problema é que elas têm que tomar banho. Dá uma preguiça... rsrsrs
Muito e vários beijos
O Davi tá cada dia mais fofo.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Eu também adoro panela,
Vivo à tampá-la e a destampá-la.
Como tudo o que se faz com ela,
O que detesto mesmo é lavá-la.

Gosto muito de cozinhar, aqui em casa praticamente quem cozinha sou eu. Só que quem lava as panelas é a dona encrenca.

Belo poema minha amiga.

Beijos e fique na paz de DEUS.

Furtado.

Cibele disse...

Mamis querida, que máximo vc sempre me surpreende adorei demais....

mais o netinho esta um gato!

beijokas

e as almofadas nada?

claudete disse...

sensacional Elaine! A panela...quem diria..na sua mão virou poesia, e que poesia ! Ganhou o seu lugar merecido , destaque , sem ela realmente fica sem sal a comida e a fantasia. Gostei imensamente mesmo porque quem gosta de cozinhar ainda tem "aquela" panela que é a mais especial. beijão.

Sueli disse...

Só faltou dizer que "panela velha é faz comida boa"...hehehehehe. (essa feijoadinha aí do lado deu-me uma saudade...rs). Beijo grande, amiga!

"Cantinho Poético" disse...

"Quando Deus criou o Homem,
deu-lhe a Música como uma linguagem
diferente de todas as outras.

BeijoOoOoOooOOo

Ivana disse...

Oi queridona!!! Bom que aparecestes lá pelo bloguito!
Está tudo bem sim, apenas sem vontade de escrever por enquanto.
Amei essa "homenagem" à panela. Nunca tinha pensado na colher "rebolando", mas faz todo o sentido! rsrsrs
Beijos!

Phivos Nicolaides disse...

Querida amiga Elaine, your poem is very good. Beijocas

A Magia da Noite disse...

em tempos serviu também para que o alquimista criasse as suas poções, é por isso que hoje a culinária é um resquício dessa ciência de outros tempos que ainda se propaga.

Meri Pellens disse...

Ótimo! Adorei. Panela tem uma mais linda que a outra, mas o que vale é a comida que sai dela, e aquelas antigas sãos as melhores, nem importa se tem um amassadinho rs...
Beijos na alma!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Não tenho o mesmo dom das mulheres de lidar com a panela e fazer delícias, mas dou uma arriscadinha. Só tem um problema. Me deu fome só de ver o poema e ainda está cedo demais. Beijos

Valéria Sorohan disse...

Eu não gosto de panelas, já nos seus versos ela ficou simpática.

BeijooO*

José disse...

Olá minha amiga Eliana.
Ontem ainda fui fazer umas visitas, mas depois recebi uma noticia que tinha morrido um familiar já distante, e já tinha noventa e seis anos de idade, desculpa só chegar agora, tenho tanta coisa por fazer.
Obrigada pelos teus sempre tão bonitos comentários,promete que quando tiver tudo mais orientado farei uns versozinhos aqui na Assas da Coruja.

Um beijinho grande,
José.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Elaine,

E quantas pessoas tem sua panela vazia e, mesmo assim, conseguem transmitir felicidade com a panela da esperança cheia.

Olha, você é emociona com suas palavras.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Bordados e Retalhos disse...

Panelas apaixonam mesmo e isso é um perigo. Ao mesmo tempo que as adoro tenho um medo enorme de me tornar escrava das mesmas. vai entender! Bjs, adorei.

Zé Carlos disse...

Ação e reação,essa é a LEI. Durante anos me perguntei porque homens foram tão infiéis. Depois de muito vasculhar dentro de mim percebi que eu era infiel comigo mesma.Não dava atenção ao que sentia e aos avisos desesperados da minha alma para que eu visse a verdade. Eu não queria. Minha vida fora uma mentira.Mentia pra mim o tempo todo. Aí entendi.
Montão de bjs e abraços


==============================

Elaine querida, vc está sendo ingrata consigo mesmo.

Vc é uma menina linda e querida e jamais seria infiel consigo ou com outros.

Por favor não deixe de aparecer.... adoro vc e este seu sorriso sempre me encanta.

Um beijo enorme do ZC

==============================

Everson Russo disse...

Seu post me deu fome,,,rs,,rs,,,vou te falar uma coisa,,,fico de pé pra aplaudir seu poema,,,voce encontrou poesia na panela...onde eu so via fome,,,rs,,rs,,,ficou super lindo,,,beijos de bom dia....

Haroldo disse...

Querida Panela, digo, Elaine,
"Sua forma redonda e charmosa,
É um símbolo feminino,
Fica também muito vaidosa,
Quando é mexida pelo masculino...

...E com toda a falta de respeito do mundo,
Toda panela precisa de uma tampa,
uma vedação qualquer que a proteja,
que a faça cozinhar com mais eficiência,
e que mantenha o alimento em seu interior,
quente por mais tempo e distanciado daquilo
que o possa contaminar...
Nada mais masculino que a tampa!
Mas nunca como a tampa da panela de pressão...
Neste caso, tampa e panela não formam um casal!
A panela livre, com sua tampa igualmente livre,
cozinha melhor.
Mas mesmo sem tampa, a panela consegue
completar o seu trabalho.
Já a tampa sozinha...
BRAVO, Elaine!
A milênios, as panelas esperam por um reconhecimento!
Bjs!

Palavra Doce disse...

Olá olá Elaine!
Achei seu blog por acaso e aproveito para convidar vc a dar uma passadinha no meu blog e ler doces palavras...
Boa semana!
Palavra Doce

Livinha disse...

Artista sois tu minha querida amiga. Que mexida de panela, que doce não faz com ela, matando a fome de alguém.
Cozinhando essas letrinhas, no alfabeto da poesia, estou certa que muitos convidados vem.
Sinto saudades daqui.
Estou no silêncio, mas não esquecida de você.
No momento estou a receber parentelas em minha casa e tenho que fazer jus a anfitriã que sou, estendendo as panelas, temperando cravos e canelas, ou cheirinhos verdes, com sabor de flor.
Logo retorno minha amiga.
Livinha jamais esquece de vocês, esteja eu onde estiver.

Grande beijos

Livinha

Sandra Botelho disse...

Tenho uma idéia vamos encher essa panela de coisas deliciosas e fazer um mexidão?
Sentar em frente a tv e comer tudinho, até estufar a barriga, e depois morrer de remorso por comer demais...E não é assim amiga?
E o tanto que é bom?
Panelas, assim como nós, acolhem aparam, aquecem...bjos querida lindo demais o poema.
E delicioso de ler.

Melanie Brown disse...

Poxa... Foi incrível como um simples objeto ti inspirou com tanta delicadeza e beleza, parabéns por esse talento de escritora que vc é!!!!

Grande bjO'

Maria José disse...

Amiga. Que forma genial e criativa de se falar de panelas. Parabéns. Amei. Estava com saudade de você. Beijos.

Aleska disse...

muito legal seu poema! gostei principalmente da parte de atirar a panela em alguém rsrsrs. concordo à beça com o que vc disse no meu blog, que tal se fizéssemos uma blogagem coletiva um dia desses sobre esse assunto? "Auto-estima e o feminino" acho que devíamos fazer um esforço para resgatar nossas "irmãs" ou pelo menos dar margem um pensamento diversificado. bEIJOS!

Bandys disse...

Adoro sua criatividade.É demais. Essa da panela voce se superou.
Davi esta um fofo!!

Beijos

Pérola disse...

Boa noite minha linda.
Vc desenvolve texto numa simplicidade tamanha.Quem diria q de uma panela nascesse algo tão criativo.
Parabénssssssssss.
Beijokas.

Socorro disse...

Bem interessante, rs! Diferente! Afinal NAS ASAS DA CORUJA, é cultura e boas informações para usar panelas, rs!
- Já usei panelas demais, hoje uso uma ou duas.

Beijos!

Manuel disse...

E não é que eu fiquei com uma fome danada!
Agora, cada vez que olhar para uma panela, vou saber apreciar melhor tudo o que ela vale.
Magnifica a forma como nos encanta.

Baba Yaga disse...

Que criatividade, que beleza são seus poemas!!.. adoro.. me divirto.. cada verso dá vontade de ler o próximo!! Deu vontade de comer doce de banana cozido em panela velha.. rsss
Ah, e obrigada por seus comentários em meu blog.. fico muito feliz .. bjss

Chris... ჱܓ disse...

[i]Menina danada!!
Imagino o quanto você cozinha...
Deve ser uma cozinheira de mão cheia...
Você consegue fazer poema numa panela! rsrs
Realmente amiga a panela tem todas essas utilidade e qualidades.
Lindo! Amei!

Bjos mil e uma linda noite.

RESILIÊNCIA disse...

Poetisa Elaine

Entrei na maquina do tempo e fui até o dia 25 de Fevereiro de 2009 e encontrei as Pipas, que ainda existem em nossas lembranças. Obrigado

um grande abraço

Elzenir Apolinário disse...

Adoro panela cheia...rs. Escrevi sobre o amigos e percebi que não podemos viver sem eles. Boa noite. Bjs

Pétala_Rosadinha disse...

Nem tenho lá tanta intimidade com elas, mas são de fato fundamentais, pelo muito que carregam.

Amei o poema, só pra variar um pouquinho.
Quase nunca gosto, né corujita querida?

Montão de beijos.(minha amiga me autorizou a usar isso...tô abusando)

legalmente loira... disse...

elaine querida,
eu tenho muitas panelas adoro cozinhar.
lindo poema feita para nossa eterna panela.
beijos com carinho e saudades...

Haroldo disse...

Não há festa de criança sem brigadeiro e beijinho de coco.
Também não tem adulto que não goste.
É uma paixão inexplicável!


Elaine, dona das receitas mais saborosas de brigadeiro, ora com pedacinhos de clara maçã, ora com beijinhos da branca cor de neve do côco ralado...
Sabes tanto de brigadeiro que causa-me espanto!
És chocólatra???
rs! rs! rs!
Beijos amiga!

Nathália (Ná) disse...

Adorei a poesia, minha amiga como você é criativa, somente você para fazer uma poesia assim.

Bjs!

Aleska disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
rouxinol de Bernardim disse...

A panela merece!!!

Regina Rozenbaum disse...

Elaine, amada!
Pronto: senti e decidi, é nessas asas que, junto a você, quero alçar voos e num céu de brigadeiro nos encontrar.
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Pati Araújo disse...

Oi Elaine!

Apareci!! e na hora certa, hummmm, tô sentindo cheirinho de comida boa *rs*
Confesso que não sou muito de cozinhar, mas, quando bate a vontade...faço festa! No São João, junto com Lua, fiz canjica, ficou uma delícia!
Adorei o texto, lembrei de mãinha que sempre gostou de cozinhar em panela de barro, a comida ficava uma gostosura!
Amiga, obrigada pelo carinho, um abraço apertado em vc e lembranças à linda família.

Beijos :]

Bandys disse...

Elaine,
Obrigada pelas suas palavras. Aproveitei pra ver o Davi, rs.

Beijos e uma noite cheia de paz.

Geisa Machado disse...

Quem diria que a panela tem todas estas utilidades? Fantático este seu poema.
Quando estou com raiva não atiro a panela em ninguém (embora ela possa ser usada também desta forma rsrsrs), mas vou ariar as panelas. Junto o útil ao agradável: odeio ariar panela, mas nestas horas é onde descarrego a minha raiva. Fazer o que, né? Cada louco com a sua mania. ahahahah
Bjusss

Geisa Machado disse...

A foto da feijoada é a da casa da Sandra?

Pérola disse...

Obrigado pela visita amada e pelas palavras.
Beijos millllllllllllllllllll

Daniel Costa disse...

Elaine

Nem teria pensado nisso, mas a panela que tão modesta parece, náo é. Agora até uma poetisa reparou nela e a exaltam atribuindo-le o valor que realmente tem!
Beijos
Daniel

Sandra disse...

Ola Bom dia!!
Saudades!!!
Me perdoe a minha ausência..

AMIZADE

Não se poderia conceber a amizade se ela não fosse presidida pelo ternário simpatia-confiança-respeito, indispensável para nutrir o sentir que a constitui.

É pelo signo da amizade que se unem os homens, os povos e as raças, e é sob seus auspícios que há de haver paz na Terra.
Da Sabedoria Logosófica.

Carinhosamente,
Sandra

Amor feito Poesia disse...

"Que abrem rasgões de luar...
"Fonte, fonte, não me leves,
"Não me leves para o mar!..."
As correntezas da vida
E os restos do meu amor
Resvalam numa descida
Como a da fonte e da flor...


Bom FDS...Beijos perfumados!! M@ria

Fátima Guerra (Mellíss) disse...

Querida Elaine

que versos deliciosos!
Se pensarmos bem, somos uma panela de emoções..., preparando aquilo que recebemos,cozinhando em fogo alto ou moderado, depende da situação.
Sua presença no meu blog é sempre um toque de carinho.
Muito obrigada !
Amigos são bençaos ao longo do caminho.
Beijos
Fátima Guerra

AFRICA EM POESIA disse...

Minha Amiga

Bom fim de semana. e um beijo

FUI ASSIM...



A criança que eu fui
A criança que tu és...
A felicidade que eu tive
Quero que tu a tenhas...
O mimo que eu recordo
Quero que tu recordes...
O amor que sempre
Esteve comigo...
E preencheu a minha vida
Eu quero meu menino...
Que sempre te acompanhe
E que nunca te falte...
Pois assim...serei feliz!

LILI LARANJO

Beatriz Prestes disse...

Que visão poética mais linda e perfeita!!
Beijo amiga querida
Bea

Valéria Sorohan disse...

Elaine, Olá, estou de casa nova e espero sua visita, você me encontra agora no Rasuras

BeijooO* te aguardo!

Fátima disse...

Por Deus, nem a panela te escapou...adorei.
Eua amo uma panela, faço as colheres dançarem fank dentro delas, rs.

Beijo com carinho minha querida.

Lua Nova disse...

Panelas são generosas, são vitais, são símbolos. Adorei a poesia, adorei o blog, to apaixonada pelo gostosinho das fotos (uma obra prima). Li seu comentário no Chocolate e não me dei conta que ainda não te conhecia. Hoje percebi e vim te conhecer, agradecer a sua presença e me fazer sua seguidora. Adoro "ouvir" pessoas que tem o que dizer e sabem como fazê-lo.
Volte sempre no meu cantinho pois será bem vinda, vc e esse principezinho.
Beijos.
Seguindo.