Seguidores

sábado, 29 de agosto de 2009

Uma Lua Para Marcia





Vi a lua sobre a mesa.
Ela escondia uma mulher que acenava com a cabeça um “não”;
Como se não quisesse ver que poderia ser deusa.
Se olhasse pra cima veria um clarão!
Uma luz de sol de mãos dadas com a lua.
Se baixasse o olhar veria o que julga ilusão,
Um ser masculino que poderia ser escolha sua.
Ele emana a sua frente espiritualidade, mente e coração.
O mar lhe presenteia com um caranguejo,
Como ele, caminha de lado sem olhar o chão.
Sua ilusão está na mesa dos desejos...
E através do véu existe a paixão.
Tem medo de se iludir, mas, o que vejo,
É que essa mulher tem as fases de um vulcão.
Prefere a calmaria de um século...
A explodir sem controle da situação!
Ela se esconde por medo do desconhecido,
Ilude-se com o que pensa e não o que sente.
O medo de se esparramar no chão é da mente,
Pois, seu coração já está aquecido por uma luz acesa,
Tem uma cadeira de veludo com um amor sentado,
Enquanto a lua ilumina seu rosto sobre a mesa.

Elaine Barnes (carta vista por olhos leigos)
17/08/09

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Esqueça o Atlas



Gosto de massagem nos ombros;
Daquelas que vai soltando os nós;
Melhorando a sensação de ser Atlas,
Carregando o mundo nas costas.
Movimentos redondos Relaxantes...
Olhos fechados... Viajantes,
Enquanto o peso vai sumindo dos ombros.
Passeio na paz. Ouço a música ao longe e vou atrás.
Entro na letra deslizando pela melodia...
Minha coluna se acalma e se entrega aos movimentos
Despedindo-se do peso, libertando-me pra seguir o rio.
Em movimentos perfeitos sigo seu curso a favor,
Sem a pretensão de carregar sua dor.
Sinto meu corpo leve fluindo nesse rio de amor.
Dou carinho a ele, massagem, cuidado...
Sem pecado, Tiro os espinhos da flor.

Elaine Barnes

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Os Frascos


Se fosse um frasco qual seria?
Que forma teria?
O que guardaria?
Às vezes vejo as pessoas como frascos;
Desde transparentes, coloridos ou muito escuros;
Com formatos e conteúdos diferentes.
Tem aqueles de formas redondas com jeito que nutre;
Aroma de fruta, como compotas de carinho.
Alguns com quantidade pequena de perfume;
São amostras grátis bem fininhos.
Outros grandes com colônia pra usar todos os dias,
O aroma tem pouca duração no dia e muito longa no armário. Seu uso é por costume.
Já vi frascos tão escuros que não descobri o que tinha lá dentro.
Deparei com um vermelho, lindo, mas a tampa colada. Ninguém conseguiu abrir.
Nunca! Acabou jogado no chão de um carro, pra ser trocado por outra coisa em algum lugar que não se sabe onde. É, às vezes são deixados com pessoas como quem não quer nada, pois, não assumem o vermelho. Aí esquecem com alguém feito libido engarrafada.
Um dia peguei um tão bonitinho, transparente com fios dourados aplicados por fora, como um bordado. A tampinha tão delicada! Um frasco romântico, tão lindinho que roubaram. Era facinho, facinho!
Cheguei a pegar um muito colorido, a tampa era bem enfeitada,um frasco maravilhoso! Quando experimentei era pimenta da mais ardida! Sensação rápida, não durou muito. Que queimou, queimou!
Há pouco tempo achei um frasco num antiquário, era escuro, antigo! Quando abri, era de remédios.Doentinho tadinho! Me lembrei de um que tive no passado que agora deve estar assim. Quando era adolescente me chegou às mãos um frasco com formato de coração, admirei o jeito, linhas românticas. Com o tempo foi ficando embaçado, parecia vidro jateado, logo esvaziou. Eu esfregava pra ver se voltava o brilho, gostava dele, mas, não teve jeito, descobri que muita gente pegava, por isso sujou, gastou, quebrou.
Gostei de um grande, parecia mais uma garrafa daquelas que impõe presença Pareceu-me que guardava um vinho nobre, me enganei. Era refrigerante sem gás nenhum. Colocaram lá pra pegar bobos mesmo. Caí. Fazer o quê?
Fiquei impressionada com um frasco esguio, longo com uma tampa de vidro redonda linda! Era uma licoreira. Dentro, um delicioso licor de chocolate. Todo mundo que viu resolveu dar um jeitinho de experimentar e o que era doce acabou rapidinho.
Outro então era cristalino, pelo jeito que tinha achei que fosse de água benta mesmo, que cura almas feridas, que perdoa quem se engana... Impunha até um certo respeito. No final do dia já estava vazio. Desconfiei. Constatei que era aguardente.
Uai tem frasco que engana oras!
Mas os transparentes de formas anatômicas, ah, esses são maravilhosos, a gente vê o que tem dentro, sente o aroma, enfeitam, duram, perfumam, nos dão prazer em tê-los.Raríssimos, mas, existem sim. Alguns duram pra sempre, cristal puro, daqueles que tem de ser bem cuidados mesmo. Valem a pena o investimento.
Se eu fosse um frasco seria transparente, teria a forma de uma flor, guardaria uma suave fragrância, mas duradoura.A tampa seria charmosa, bela e receptiva. O conteúdo simples, mas delicioso, envolvente.
Credo que pretensão!
Ah, se eu fosse um frasco sei lá! Acho que estaria no mar com uma mensagem de amor dentro: “Conhece-te a ti mesmo!” Será que seria encontrada?

Elaine Barnes
19/08/09



quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Muitos Passos no Quintal


Que as paredes sejam fortes.
E não importa que sejam sem pintura,
Eu pinto!
Que as janelas tenham uma fresta para o sol.
E não importa que sejam antigas.
Eu renovo!
Que o teto proteja a alegria.
E não importa que tenha rachaduras,
Eu concerto!
Que o quintal tenha marcas de muitos passos.
E não importa que seja de terra,
Eu planto!
Que minha casa seja feita de sonhos.
E não me importa,
Eu realizo!
Que tenha a festa dos meus amigos.
Que pra todos seja um abrigo.
Que tenha o sorriso das minhas filhas e netos.
Muitas cadeiras na cozinha,
A mesa posta com boa comida.
E o que mais importa, é que seja feita de amor!

Elaine Barnes ( Quando ela existir na realidade você tb está convidado )
19/08/09

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Eu Mereço!

Dos teus olhos brotam mel;
E é neles que me vejo.
Desmancho-me nesse doce,
No favo do teu beijo.

Moro nesse paraíso,
No azul do teu céu,
No teu corpo deslizo,
Cachoeira de véus.

Você é um sonho possível,
E chego a tocar sua alma,
Ela desperta o invisível,
E minha fera se acalma.

Com tua imagem adormeço,
Te levo em passeios sonhados,
Na realidade ainda não te conheço,
Mas sei que breve estará ao meu lado.

Elaine Barnes ( O mundo é feito de sonhos e vivido na realidade de preferencia com um bom par)

domingo, 9 de agosto de 2009

A Primeira Palavra ( Parabéns papais)


Chegou meu filho, um presente divino,

Abro um grande sorriso, agora sou pai.

Ao vê-lo crescer, a cada passinho,

O amparo em meus braços

Com muito carinho,

Secando a lágrima que cai.

No peito um aperto,mas,

Com segurança eu digo:- Vai!

Como cresce meu filho

Dentre todos o mais lindo, é demais!

De repente me toca sua mãozinha,

E esse momento não esqueci jamais

Foi quando ouvi da boca mais querida,

A primeira palavra:-Papai!


Elaine Barnes

1994

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Na Falta De Palavras Ele Bate.


Num abraço se revela a alma.
Recebe-se a ternura do coração,
Se doa carinho, acalma.
Troca-se amizade,
Mata a saudade.
Entrega a paixão!
É bom um abraço de amor!
Ficar um tempo nos braços do abraço,
Viajar nas asas de um pássaro,
Voando na imaginação!
Abraço alivia a dor.
No peito se aconchega,
Nos solavancos do corpo,
É acalento sem tempo marcado,
Sossega o medo e o terror.
O abraço não tem cor.
Tem sensação.
Começa com a mão,
Como a ofertar uma flor;
E em seguida espalmadas se jogam...
Entrelaçam-se, se laçam, se lançam...
O abraço é tão atemporal quanto a união,
É um momento na eternidade.
O tempo para pra felicidade passar !
E pra quem dá e recebe esse pão,
Sente-se alimentado por uma cidade.
O Abraço é o aperto mais suave,
E quando é sem palavras...
O coração faz sua parte.

Elaine Barnes (Oferecendo um grande abraço a todos que passam por aqui)
5/08/09