Seguidores

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Sessão coruja -CONVERSANDO COM A DOR


Dor. Quero dizer-lhe que não sei de onde vens;
só sei que te carrego comigo na inconsciência da tua origem há séculos.
Você dói em meu peito e minha alma e fico procurando os porquês nas situações que crio para te sentir.
Um masoquismo estranho, sem sentido.
Agora sei que és velha demais. Creio que precisamos descansar.
Você pela idade e eu porque preciso desse espaço para o novo.
Mas, me diga o que eu faço para que me libertes?
Não sei de onde tira forças para se apossares de mim!Choro. E é por ti.
Prendes-me à garganta um velho grito que não sai.
Um grito que aprisionas nas profundezas do meu ser.
Às vezes consigo conviver contigo e é quando me enganas e se esconde.
Quando a vida me presenteia de sorrisos, sonhos e realidade.
Quando me liberto e sinto prazer.
Parece durar pouco, aparece das sombras.
Vigias cada conquista, cada passo meu em busca da liberdade.
Não me deixas em paz. Dói enquanto cresço, dói enquanto ganho consciência, dói e aperta meu peito me impondo a morte e ainda assim te encontro na encruzilhada e nas trevas.
Peço-te que saias do meu caminho. Não te quero mais! Nem sei se um dia quis!
Vá e descanse imploro-te ! Não preciso de ti. Aprenda a morrer também!
Quem te disse que és mais do que eu?
Se te dei este poder também devo saber tirar.
Utiliza-se de subterfúgios externos sem coração para usares o meu.
Assim te reconheço na insensibilidade e na falta de respeito e você dói até a indignação.
Eu te reconheço sim. Moras no apego. Mas para onde vou não posso mais te carregar.
Pesas demais. Te liberto e me liberto,pois, pertenço a mim e não a ti.
Pertenço ao amor e não a dor.
Descanse em paz. E na hora da nossa morte AMÉM!
Elaine B.B. 15/04/2003 ( Quando aprendi a não mentir mais pra mim e a não fingir.Sinto e converso,a resposta sempre vem)

29 comentários:

Geisa Machado disse...

Oi minha amiga e help desk!
Eu aprendi na minha história de vida, que a dor é necessária, o sofrimento é que é opcional. No sofrimento a gente só pensa em si mesmo e não percebe o que há de belo ao redor.
E é nesse belo que encontro amigas como vc! Muito obrigada pela força que me deu, me inserindo neste mundo novo, com as possibilidades de novas amizades e novas conquistas.
Gosto muito, muito, muito de vc!!!
Bjussss

Fatima disse...

Eu tb já aprendi essa verdade amiga!
bjs.

Chica disse...

A dor nos ensina e faz crescer e essa conversa com ela ou contigo mesma é sempre maravilhosa e faz bem. beijos,lindo dia e tudo de bom,chica

Majoli disse...

Oi minha querida, conversei através da sua conversa com essa danada dessa dor que insiste em morar cá dentro de mim.

Também eu pertenço ao amor, expulsarei essa dor, não há razão pra alimentá-la mais, vou me reeducar, certo amiga?

Beijos no ♥.

Beijokas no Davi, muiiiitasss.

(Carlos Soares) disse...

Elaine,sou seu fã.Eu não digo que poesia é uma troca de energia cósmica e por isso acabam tendo as coincidncias? E eu gosto delas.Você me fez lembrar uma que tenho:PUNHAL.Uma certa dor que haviam me cravado,que doía de vez em quando,mas hoje felizmente estou noutro momento.Parabéns.Beijos

Pati Araújo disse...

Oi Elaine,

Amei as fotos, a de Davi(com a justa homenagem!) e a do seu perfil, muito fofa!!
Sua presença lá no blog é uma delícia, energia boa demais...

Beijinhos em Davi :)
Abraço forte em vc, bem apertado!

Lindo dia pra vcs!!!! :]






"Pertenço ao amor e não à dor"
Lindo demais!!

Luciano Braz disse...

Mas me diga, o que eu faço para que me libertes ...
Esta é minha pergunta nesta tarde ...

Lindo demais aqui ... o conceito é muito valioso.

Obrigado pelas gentis palavras viu ... um abraço e muitos sorrisos nesta tarde.

Luciano Braz

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Ai meu Deus, o que na verdade me encantou aqui hoje foi esse bebezinho lindo da foto. Que coisa mais abençoada, viu? Vovó, que Deus abençoe a vida de todos vocês.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Marcone França disse...

É verdade que a dor não é o problema principal. Mas o acostumar-se com ela é o que faz mal.

Abraço!

Renata Nogueira disse...

Oi Elaine
Vim agradecer o comentário carinhoso que vc deixou na minha entrevista no Vida Blogueira.
Beijão

A Madrasta Má disse...

Que linda vc!!! seu netinho tá fofuxo mesmo, muita saúde e alegrias pra ele!

Eu nem preciso comentar teu post pq dde dor e sofrimento vc já sabe né.... mas a gente ajeita a piruka sempre!

Bjinhos da Madrasta!

Cadinho RoCo disse...

Se bem pensar não há nenhuma necessidade para mentir. Quando resolvemos tratar com serenidade e compreensão tudo que habita em nós, os incômodos, como que por encanto, desaparecem.
Cadinho RoCo

Wanderley Elian Lima disse...

0i Elaine, acho que aprendemos a conviver com a dor, mas chega um momento que não dá mais , descobrimos que é hora de ser feliz, de mudar a vida.
Beijos

Paulo Tamburro disse...

PARABÉNS PELA CHEGADA DA PRINCIPAL E MAIOR RAZÃO DA SUA VIDA.

É SÓ.

FIQUE COM DEUS. VOCÊS DOIS.

♥ ♥ Eu disse...

Oi amiga, fico contente por vc ter conseguido se desvencilhar de um sentimento q não faz bem e estar pronta para amar novamente.

Um beijo no Davi e outro prá vc!

Millifer disse...

Ola querida passei pra deixar beijinhus te desejar tudo de bom da vida sempre dizer q devemos alimentar sempre o amor e apaixão por tudo o que amamos assim expusamos a dor,seu bbneto esta lindo,que deus o abençoe sempre!!!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Acabei de ir na Geisa e adorei o modo que ela expressa as emoções. Vou falar pro Jota Cê sobre o texto, viu?

Outro beijo, menina linda do meu coração.

Rebeca


-

Manuela Freitas disse...

OLá Elaine,
Gostei de «conversando com a dor», também tenho as minhas conversas, mas quem não tem conversas com a dor? Só que não podemos estar a dar-lhe muito mimo, ela gosta e não descola!...
Andei a fazer visitas, num blogue li que não estás a atravessar momentos favoráveis relativamente ao trabalho, o meu desejo mq é que tudo possa melhorar.
Beij. à coruja,
Manuela

Paulo Tamburro disse...

OBRIGADO, por VOCÊS DOIS, terem vindo.

Que texto lindo você colocou a nossa disposição.

Parabéns, serei também seu seguidor.

Um abração carioca e um beijão nesta criaturazinha (rs).

Paulo Tamburro disse...

E MODESTIA À PARTE SOU O SEU SEGUIDOR, NÚMERO 100.

COISA DE CARIOCA(RS)!!!

Sandra Botelho disse...

Eu te reconheço sim. Moras no apego. Mas para onde vou não posso mais te carregar.
É isso ai amiga, as vezes nos apegamos demais a alguem que só nos causa dor, e passamos tempos sofrendo por medo de nos desligarmos.
Puxa é incrivel como você consegue colocar em palavras, sentimentos nossos.
Bjos no coração!

ONG ALERTA disse...

Aprendemos todos os dias nesta vida, para fazer a diferenaça, sermos melhores, paz.

meus instantes e momentos disse...

passando para te desejar um belissimo dia...
belo post. A dor ensina, no pior ou melhor modo, mas ensina.
Maurizio

José disse...

Olá Eliane,
Estou voltando de novo, e estar na vossa companhia, era o que eu mais queria,estar aqui, mais pertinho de ti.Apesar de todos estes contratempos tudo não passou dum grande pesadelo.
Quero dar os parabéns há linda vóvó coruja,e desejar as maiores felicidades ao netinho e a toda a família,a gente aqui costuma dizer vóvó galinha, e eu tenho uma aqui em casa.
À quem diga que a dor é nessessária
eu proferia não ter essa nessesidade, porque a dor às vezes é dolorosa de mais.
Obrigada pela força pelo o carinho
e pela tua amizade.

um beijo grande, José

Everson Russo disse...

Mora no fundo da alma, vai guardando conflitos e segurando palavras , uma hora a gente explode e a dor some pelo ar, vivemos com ela e nao alimentamos ela...beijos e uma linda tarde.

A Magia da Noite disse...

há dores que aprendemos a suportar, até ao dia em que as decidimos enterrar.

Majoli disse...

Amiga, você ainda não pegou o award que te ofereci?.....sniffffffff.

Deve ser o lindo do Davi que toma todo tempo da vovó coruja.

Ah amei a nova foto do perfil...quero um pedaço!!!

Beijos querida.
Boa noite.

Juliana Lira disse...

Elaine

Que profundo esse, arrepiou!A dor as vezes parece ter o controle de tudo, nos quer controlar, nos quer tirar o nosso chão!
Mas a última palavra é nossa.Que a última palara seja adeus a toda dor.


Milhões de beijos

lagrima disse...

Adorei ler Elaine, sei como é fantástico o instante da libertação! Porque é num instante mesmo que tudo acontece. É um clic semelhante ao do encontro com o amor.
Vou seguir você.
Beijo.