Seguidores

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Os Bancos Também Amam






Era uma vez dois bancos vazios, que
Há muito tempo moravam em uma praça.
E papo vai, papo vem, tornaram-se íntimos,
Contavam histórias com certa graça.

Falavam de antigos relacionamentos,
De paixões "sonrisal" efervescentes,
Como se o mundo fosse acabar,
Em borbulhas adolescentes!

Semelhantes juras de amor eternas;
Em ambos, juradas ao primeiro encontro.
Descreviam línguas virgens, ansiosas...
E corações batendo sexo pronto!

Houve também casos contados de brigas,
Em que cada um foi para o seu banco.
Disseram adeus em tristes despedidas...
Com lágrimas esquecidas num canto.

Proseando sobre as semelhanças da vida,
Os bancos perceberam que guardaram mágoas,
Mas, que também viveram muita alegria,
Pois sempre renovavam suas tábuas!

Pintavam novos anúncios;
E o romance sempre voltava,
E entre diversos assuntos,
O sol se chegava e brilhava!

Os bancos então descobriram,
Que nunca estiveram sozinhos.
Eram colos , ninhos de amor,
Para os casais de passarinhos!

De repente, como se fosse a primeira vez,
Olharam-se de maneira diferente.
Como tinham muito amor pra oferecer...
Por que não dar um ao outro esta chance?

Por viverem muitas histórias,
Descobriram que sempre esvaziavam,
A cada dia abriam espaço para o novo;
E somente agora enxergaram!

Inspirados no mesmo instante pelos pássaros,
Que limpavam o bico beijando a flor,
Os bancos brilhavam sentimentos maduros,
E trocaram juras de não sujar o amor.

Espelharam a nova nuance,
E descobriram-se enamorados,
Pintaram a essência do próprio romance,
Na tinta nova, o anúncio de apaixonados!

Elaine Barnes ( no banco da praça)

18 comentários:

Majoli disse...

Minha querida, que maravilha sua poesia.
Ao te ler me veio a memória uma música antiga interpretada por Odair José, Eu você e a praça, que foi regravada por Zeca Baleiro, e que eu vivo a cantarolar aqui em casa...rs

Amiga, obrigada pelo carinho nos e-mails, adoro você.

Beijos no coração.

Majoli disse...

Ah, esqueci de dizer que tem um presentinho pra você lá no rabiscos.
Ficarei feliz se aceitares.

beijos de novo.

(Carlos Soares) disse...

Aí não vale,Elaine. Vale sim.É que me lembrou um poema antigo meu que estou tentando resgatar nessas gavetas, onde ponho dois bancos falando de amor, não para si, mas de um certo casal que esteve ali, namorando todo dia e ali mesmo terminaram.Adivinha quem era o homem desse casal? Acertou.Beijos e obrigado pelo carinho de sempre

Sandra disse...

Pode ter certeza amiga, que tudo começa em um banco. Nem que seja na escadaria da Igreja. Foi assim que começou o meu namoro com o meu mardio.
Na escadaria da Igreja. Que não deixa de ser também um banco para sentarmos.

Bancos da praça. Quantos coisas acontecem ali..

Tem selo para vc. na Curiosa. Passe lá.
Sandra

Mariana disse...

Que lindo esta poesia, cheia de amor.Adorei muito.
Adoro visitar-te e fico muito grata pela tua presença no meu blog.
Tenhas um lindo dia.
bj e um gd abraço.

Everson Russo disse...

Com toda certeza os bancos de praça tem muitas historias pra contar, muito ouviram, muito sentiram e muitos segredos guardaram...beijos querida, otima noite pra ti. obrigado pela suas visitas ao Livro e ao Barco.

Elcio disse...

Q coisa mais boa foi descobrir esse espaço...passear por suas poesias, de norte a sul....mt bom mesmo.

Voltarei mais vezes.

É isso aí.

Bjs

Everson Russo disse...

Um beijo grande querida e um belo dia pra ti...

Elcio disse...

Tá, mas e agora o que eu faço c esse gosto de chocolate q o cerebro acusou depois q os olhos leram sua receita? A lingua e o palato ficaram doidinhos, desorientados, pois o cerebro lhe disse q existe e aí está, mas fisicamente....kd?
kkkkkkk

Deu p sentir a textura da colher envolta em chocolate...o calor...td td....como a mente é prodiga em criar onde nada existe...é gostoso, da vontade de dizer hummmmm...embora seja perigoooooso q soh....kkkkkkk

Super bj.
Fiquei fregues...rssss

A Magia da Noite disse...

a paixão será sempre tinta fresca sobre o amor.

Gilson disse...

Olá Elaine, vou te seguir aqui também, muito bom seus dois Blogs.

Abraço

Everson Russo disse...

Um lindo final de semana pra ti minha amiga...beijos

Nem ao menos sei disse...

Adorei.....
Adoro o jeito que vc escreve

contunue assim!!!

ummardesonhos disse...

lindo sua poesia.. agora vou olhar os bancos das praças com outros olhos..parabens.. vc escreve muito bem..e eu amei o xabunga.. lindo e muito triste.. e como eu amo cães chorei feito boba.. sou assim. uma manteiga.. obrigada pela visita..beijos

Mariana disse...

Passo para desejar-te um lindo fim de semana.
Beijos

Gilson disse...

Obrigado pelo belo coentário. Suas palavras foram sábias.

Abraços

GUILHERME PIÃO disse...

Meu primeiro amor conheci num banco e jardim igual a este.
Abraços

Kátia Moreira disse...

Espero poder vir sempre aqui e continuar lendo esses textos maravilhosos q vc posta.
Sua sensibilidade é única!
Parabéns