Seguidores

quinta-feira, 9 de abril de 2009

PARA ONDE FOI O AZUL?


Quero um pouco de energia,
Vasculhar minhas entranhas,
Buscar um último fôlego,
Respirar o oxigênio da alegria.
Expirar a falta de ânimo,
Expulsar a apatia,
Quero de novo a importância,
Sentir-me interessante,
Deixar de me deixar de lado;
Isolada fora de sintonia,
No ermo do próprio abandono;
No medo, no medo, no medo...
Ah... Essa dor eu não conhecia!
Essa angústia de não fazer a diferença;
Estando ou não, nada mudo.
Estou na lágrima que cai sem controle,
Perdida no preto e branco.
Pra onde eu fui?
Cadê o azul do meu mundo?
Dói... Dói... Dói...
Aqui dentro é escuro.

Elaine 9/04/09

5 comentários:

Ariadne disse...

Amiga!!!! Voltou???!!!!
Eu que pergunto para onde foi você?
Que saudades!!!!!!!
Achava que tinha se mudado pra Marte...rsrsrsrs
Eu usei metade dum texto seu que escreveu pra sua filha, e fiz para um dos meus filhos. Ele estava precisando de uma força minha e eu não sabia o que falar e o que seu coração sentiu quando escreveu foi o mesmo sentimento do meu. E ele ficou feliz.
Fico feliz em saber que voltou nas postagens, é sinal que tá se renovando.
Receba as energias das estrelas
O oxigênio que meu pulmão pode te dar.
Os meus braços pra te acalentar
Meu colo pra chorar
E todo amor que houver nesse céu.
Beijos com sabor de chocolate, com sabor de renovação!

janiperes disse...

amiga, querida e grande amiga, quando encontrar todas essas e mais algumas respostas talvez também já tenha as minhas, porém não tenho vontade alguma, já não sinto nem dor, vivo. bjs saudade.

Augusto disse...

Oh! Linda flor.

Nada como a primavera...!!!,

Seguindo a vida, fluindo com seu processo de eternizar, de flor agora fruto, perde as petalas, não mais irradia luz é hora de alimentar de se doar até ser semente lançada ao "DEUS DARÁ" e ELE sabe onde, que solo deve cair...

Agora adormecida na escuridão da terra fofa; é aguardar, aquietar-se, entregar-se a sabedoria da mãe natureza aos cuidados de Ceres no reino de Plutão.

Passará as chuvas, o frio até ser criada nova raiz, novas folhas e se lançar a luz novamente. Crescer e deixar de ser uma semente e sim uma frondosa arvore com muitas flores.

Tempo, há de respeita-lo.

bjo

Anita Fonseca disse...

Desejo uma FELIZ PÁSCOA.

Bjs.

IcaroReverso disse...

Feito um Dostoiévski que dói
Nu subterrâneo ausculta:
Tua febre há de sorrir.