Seguidores

sexta-feira, 24 de abril de 2009

NADA


Nada

O amor que ainda não veio,
Esperado sem anseio...
O amanhã que não existe...
Às vezes me deixa triste,
Sem história pra contar.

O tempo parece parado,
O espírito desconectado.
A voz chorando abafada,
Sinfonia mal acabada...
Sem música pra cantar.

Um não querer de nada.
Poesia sem direção.
O “eu” perdido num porão,
Com luz apagada.
No silêncio, a benção de um coração.

Elaine Barnes
24/04/2009

3 comentários:

(Carlos Soares) disse...

Está instrospectiva, querida amiga.Noturna,soturna... mas muito inspirada.bjss

Anita Fonseca disse...

Olá Elaine,lindo seu poema, mas tristinho.Obrigada pela visita ao meu blog, volte sempre.

Bjs.

Anita Fonseca disse...

Desejando ótimo domingo pra vc nesse dia das mães.

Beijos.