Seguidores

sexta-feira, 24 de abril de 2009

NADA


Nada

O amor que ainda não veio,
Esperado sem anseio...
O amanhã que não existe...
Às vezes me deixa triste,
Sem história pra contar.

O tempo parece parado,
O espírito desconectado.
A voz chorando abafada,
Sinfonia mal acabada...
Sem música pra cantar.

Um não querer de nada.
Poesia sem direção.
O “eu” perdido num porão,
Com luz apagada.
No silêncio, a benção de um coração.

Elaine Barnes
24/04/2009

quinta-feira, 9 de abril de 2009

PARA ONDE FOI O AZUL?


Quero um pouco de energia,
Vasculhar minhas entranhas,
Buscar um último fôlego,
Respirar o oxigênio da alegria.
Expirar a falta de ânimo,
Expulsar a apatia,
Quero de novo a importância,
Sentir-me interessante,
Deixar de me deixar de lado;
Isolada fora de sintonia,
No ermo do próprio abandono;
No medo, no medo, no medo...
Ah... Essa dor eu não conhecia!
Essa angústia de não fazer a diferença;
Estando ou não, nada mudo.
Estou na lágrima que cai sem controle,
Perdida no preto e branco.
Pra onde eu fui?
Cadê o azul do meu mundo?
Dói... Dói... Dói...
Aqui dentro é escuro.

Elaine 9/04/09