Seguidores

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Sessão Coruja- Cadeira de Balanço



Cadeira de balanço embalou sem descanso,
Tantos sonhos meus.
Muitas vezes feliz; libertei-me do ranço,
Recostada nos braços teus.
Como todo ser humano,
Eu, eterna insatisfeita;
Muitas vezes me perdi.
E nos meus desenganos,
No teu colo me encontrei...
No teu silêncio me recolhi.
Foi tão bom teu aconchego em
Todos os dias que vivi.
Guardou meus segredos,
Desabafos e medos...
Entre goles de Parati.
Fiel companheira,
Velha amiga de madeira...
Continuas aí!
Range comigo de velhice,
Paciente com minha tagarelice...
O tempo passou e ainda não cresci.

Elaine Barnes

8/09/1994

38 comentários:

Chica disse...

Que linda homenagem à velha cadeira de balanço que em geral ninaram nossos sonhos e acalantos desde pequenas, passando por todas as gerações...

E que bom te ver te embalando nela por aqui, depois de tanto tempo!

beijos,lindo dia e tuuuuuuuuudo de bom!chica

Sandra Botelho disse...

Que lindo amiga...Deu até vontade de sentar em uma cadeirinha de balanço de deixar o tempo passar.
Que bom que voltou a postar.
Te adoro viu?
Bjos achocolatados

Meri Pellens disse...

Olha, de criança até hoje, adoro uma cadeira de balanço.
Beijos na alma!

Everson Russo disse...

Que nesse vai e vem da cadeira,,,apenas passe o tempo, não passe nunca a criança, a vontade de ser feliz, os sonhos, os desejos e o amor,,,beijos querida e um dia de paz pra ti..bom te ver de novo....

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amiga
Lembranças guardadas com nostalgia, de algo que fez parte da vida que vai se perdendo com o tempo.
Muitos beijos

Sonhadora disse...

Minha querida

Como sempre lindo, adoro a tua maneira de expressares-te em poesia linda.
Já tinha saudades dos teus poemas.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Blog da Anabela Jardim disse...

Beleza de poesia!Você escreve com a alma. Parabéns!

Paulo Tamburro disse...

Oi Elaine!

Que bela figura de retórica, retratada nesta "cadeira de balanço"!.

Sempre achei que o segredo da cadeira d balanço , era sua capacidade de gerar movimento, quesito este indispensável para que nós, tenhamos a sensação de estarmos vivos.

Só conheci um povo em toda a história da humanidade que privilegiava o ócio em detrimento ao movimento.

E o faziam por razões esssencias de fundo filosófico, pois os gregos pensavam qua a sabedoria estava expansão no eter, no espaço, na infinitude do cosmos.

Então para incorporar esta sabedoria, eles ficavam em absoluto ócio (óctium) para que pudssem absorvê-la.

A maioria das escolas filosóficas que pregaam a meditação como forma terapeutica, respalda-se neste costume das elites gregas.

Esta crença só foi dfinitivamente interrompida, muito mais tarde com Calvino e Lutero de pregavam o nectocium (negação do ócio) - negócio - e que hoje, é a febre dos mercados finnanceiros internacionais.

Portanto, a cadeira de balanço que gera movimento constante é o que mais agrada, naqueles que quando nela sentam , na maioria das vezes procuram descansar das suas lutas diárias.

E a cadeira de balanço os traz de volta, estes ociosos, para a verdade da vida que é o constante movimento, o nect-ocium, o não ócio -enfim,o grande NEGÓCIO que é VIVER!

Um abração carioca e saudoso dos seus comEntários no HUMOR em TEXTOS.

PS.Será que ele é tão ruim assim? (rs)

Graça Pereira disse...

Balança que balança
A cadeira da minha vida
Meus sonhos de criança
embalou-os comovida!

São lindos os teus versos
repletos de saudade
Em cada hora dispersos
laços de amizade!

A vida sempre correndo
nessa cadeira balançou...
A idade já vai doendo
E até hoje não parou...

Como eu está velhinha
Minha cadeira de baloiço
Comigo já se aninha
No lugar do nosso poiso!

E num ritmo natural
Continua a balançar
E neste belo ritual
docemente faz-me sonhar!!

Mil beijos e uma semana muito doce.
Graça

Fatima disse...

Ainda bem né?!!!!
Sodade do cê!
Bjs.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Aplaudo de pé.Você não pode ficar sumida, tem uma poesia inteligente. Gostei muito da relação ca cadeira de balanço com quem nela senta. É verdade, acabam sendo parceiros. Beijos,Elaine

Cacá disse...

Uma companheira com vida própria embalando uma outra vida. Que lindo, Elaine! E que prazer vê-la aqui de novo! Abração. Paz e bem.

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

LINDO TEXTO!
VELHA COMPANHEIRA, ME DEU SAUDADE DE ALGUMA COISA!
BEIJO

Arnoldo Pimentel disse...

Existem momentos que nos sentimos sozinhos, vazio e precisamos sim da cadeira de balanço, assim enquanto balançamos tentamos nos encontrar.Obrigado pela visita e comentário, tudo de bompra você, beijos.

Sueli disse...

Dilícia de poesia! Assim como é delicioso descansar numa cadeira de balanço! Suas palavras descreveram tão bem a cena que estou até ouvir o ranger da madeira enquanto balança a cadeira.(como foi a festa domingo? Acredita que a danada da gripe ainda não foi embora?...). Beijão, amiga!

Arnoldo Pimentel disse...

Tem selos de presente pra você no meu blog, passe lá e pegue, beijos.

Ventosnaprimavera.blogspot.com

Luciana Klopper disse...

Eu adoraria nesse momento com essa barrigona uma cadeira de balanço!

Everson Russo disse...

Bom dia minha querida,,,uma otima quarta pra ti,,,paz e muito amor,,,e é legal mesmo rabiscar os nomes na arvore,,,fica pra sempre....grande beijo .

Livinha disse...

Elaine, quanta saudade de ti, de ler os teus enriquecidos poemas, tão prontos, tão certos...
Você cresceu minha amiga, cresces a cada dia, com tuas histórias pra contar.
Mas jamais te sintas velhas, pois o corpo nada vale, sem alma jovem pra tocar...

Um beijo grande pra ti

Livinha

Everson Russo disse...

Um dia lindo e cheio de paz pra ti querida...beijos e beijos

Manuel disse...

Senti-me embalado nessa canção que me fez sentir num remanso doce e terno.
Senti o ranger dessa quietude e dessa
dolência.
Belo...belo...belo

Solange disse...

enchi os olhos d'água...

que lindo Elaine !

é uma alegria especial ler seu comentário lá “Eucaliptos” !

beijo carinhoso...

✿Lady✿ disse...

Oi querida!
Que bom ler-te novamente.
A cadeira de balanço, que embala sonhos e pensamentos.Adoro ser embalada, na cadeira, na rede, no colo...
Beijos com carinho
Saudades...
Lady

Marilu disse...

Querida amiga, quanta saudade da cadeira de balanço, embalou sonhos que nunca se realizaram, mas mesmo assim foi bom idealiza-los. Beijocas

Milene disse...

Aqui nós tínhamos uns modelos de cadeira de balanço feitas em ferro e cobertas com fios de plástico (acho que é plástico, nylon... sei lá). Uma delícia.

Quanta saudade!

Recordar é bom, né?

Beijos, querida.

Sheila disse...

Olá minha amiga, que bom, poesia nova, que alegria , a cadeira de balanço, lembra ternura, pensamentos em um vai e vem, que transformam sonhos e lembranças numa dança ritimada, que embala o coração de quem nela se senta. Beijos.

Graça disse...

Que gostoso lembrar com vc, recordar!!
Elaine, mais gostoso ainda é vir aqui, minha linda! e ler esse poema que é um verdadeiro 'repouso' para a alma...

Amiga, vc gostaria de conhecer um poeta romântico e amigo?
Então venha aos meus Botões de Madrepérola...
Te aguardo, sem falta, venha quando puder...

Beijos,
Abraços e laços!
Saudosos...

Majoli disse...

Olha eu chegando por aqui, mortinha de saudades.
Adoro suas sessóes coruja, me deu saudade da cadeira de balanço que tinha na minha casa, quando eu ainda era jovem e morava com meus pais.
Ela era minha companheira, quantos sonhos, ilusões e lágrimas dividi com essa cadeira.

Amiga querida, saiba que lhe tenho um grande apreço.
Você é mais um presente lindo que Deus me deu.
Estou voltando aos poucos, com fé, com esperança, com uma vontade doida de ser feliz.
Amo você.
Sou feliz por tê-la em minha vida.
Beijos enormes no teu ♥

Vozes de Minha Alma disse...

Minha amiga, que essa cadeira de balançao seja tua companheira a embalar teus sonhos.
O legal, é continuar sendo essa criança, porque não?
Gostaria de ter uma amiga assim também, rsr
Um fraternal abraço, bjs.

Chris... ჱܓ disse...

Amiga linda!!
Saudade dos teu escritos...
Tás sumida demais... Corujinhaa... rs

Obrigada pela visita minha linda!

Para ti, um feriado de muitas alegrias e que sua semana seja proveitosa.
Muita paz!
Bjos!

Lidia Ferreira disse...

Minha querida ,
Adorei seu poema, concordo com a Sandra deu vontade de ter um cadeira de balanço
bjs

Pérola disse...

Olá minha linda.
Como vc está?
Saudades de tu minha flor,a quanto tempo ñ aparece!!!
Amei a cadeira de balanço eu confesso a vc q tenho duas e costumo coloca-las na minha varanda,uma delicia rs.
Parabéns,vc pode estar até afastadinha mas a sua inspiração continua bela.
Beijos mil.

Graça disse...

Voltei...
apenas para agradecer a amabilidade de sua preciosa visita!
Elaine, vc é incomparável, amiga! Tão pronta e atenciosa...o carinho que tem por mim é recíproco e verdadeiro, eu amo vc!
Bom restante de semana, minha linda!

Majoli disse...

Amiga, vim deixar meu beijo mais carinhoso e dizer que estou pedindo por ti em minhas orações.
Tudo ficará bem, creia.
Saudades enormes de você.
Se cuide.
Amo você.

Daniel Costa disse...

Elaine

Apresentas um interessante poema, como sabes escrever.
És daquelas pessoas que nos marcam, favoravelmente, pelo que o teu aparecimento é um prazer.
Beijos

Manuela Freitas disse...

Olá Eliane, como estás? Andamos perdidas uma da outra, sei lá porquê!...
Senti saudades de uma cadeira de baloiço que sempre desejei ter e nunca tive e esta heim!
E o seu neto, tem crescido, não é?
Beijinhos,
Manú

claudete disse...

É minha querida nos apegamos ao que nos remete ao nosso crescer e não poderia ser de outro jeito...alí ficam nossas lembranças , e nossos segredos embalados inconscientemente pelo balançar da velha cadeira. Beijos e foi bom ter você aqui novamente.

Pati Araújo disse...

Oi Elaine, amiga querida!

Quanta doçura nas suas palavras... Lindo demais!
Quero uma cadeira de balanço... só curti uma na casa da minha avó, lá em Pernambuco...
Elaine!! como o Davi está enorme e lindíssimo! Amei as fotos novas, Deus abençoe a família feliz!
Amiga, fica com Deus e que tudo dê certo, estou sempre na torcida, desejando muita saúde e prosperidade para vc e todos que te rodeiam.

Beijos,
Pati :)